29/06/2014

Café, Não Traição E Um Projeto de Casanova


Um rapaz de cabelos loiros caminhava pela rua, quando parou em frente a uma cafeteria. Ao fundo do estabelecimento, agora quase vazio, pôde ver um casal conversando animadamente. O jovem, simplesmente, não podia ou não queria acreditar no que seus olhos mostravam.
Ele adentrou a cafeteria e foi direto para a tal mesa.
― Melanie, o que significa isso? Quem é esse cara? ― indagou pegando a garota pelo braço e tentando tira-la da mesa.
― Solte-me, Joshua! ― exigiu a ruiva ― E “o que significa isso” o que? Estou apenas conversando com um amigo numa cafeteria. ― completou indicando para o rapaz de traços asiáticos e pele bronzeada a sua frente.
― Não acredito que você está me traindo com este imbecil! ― disse puxando a garota mais uma vez.
―Alto lá, fale por você e não por mim. Eu pelo menos sei esconder os meus casos.  ― rebateu, levantando-se  ― E solte o braço da garota, ou você não ouviu o que ela disse? ― Mell, onde você arranja este tipo de companhia? ― indagou medindo o outro da cabeça aos pés.
― A conversa ainda não chegou à loja de roupas. ― respondeu ferino encostando o indicador no peito do moreno ― Vamos, Melanie! Não quero minha garota andando com caras desse tipo.
― Traição, Fashingbauer? Não existe este verbete no que diz respeito a nós dois. Nunca existiu um relacionamento de verdade, portanto, não há traição. Nós só saímos algumas vezes. E ao que me consta, você costuma sair com suas amigas. ― rebateu desafiadora a ruiva de olhos negros enquanto arrancava os dedos do rapaz de seu braço.
                ― Você nunca disse nada antes. Aposto que só está falando isso agora por causa desse aí. ― meneou a cabeça em direção ao rapaz de cabelos negros e espetados ― E não tente mudar o foco da conversa.
― Nunca disse nada por não ser problema meu. E nem me venha com desculpas ou tentando jogar a culpa para cima de Raymond. Eu sei de pelo menos metade das garotas com quem você saiu nos últimos meses, projeto de Casanova. E nem foi preciso invadir sua privacidade para isso... Agora se retire daqui, antes que eu chame o segurança. ― disse por fim, dando um olhar de desprezo.
Joshua, agora sem argumentos, deixou o recinto com os olhos inflamados de raiva e sem proferir outra palavra sequer.
― Não conhecia esse seu lado de menina má, Mell... ― disse Raymond com uma expressão entre sedutor e divertido, enquanto acariciava o braço da jovem.

― Esta é apenas uma das minhas muitas faces que você ainda não conhece. ― respondeu levando a xícara aos lábios, antes de sorver outro gole de seu cappuccino.
Categories:

Um comentário:

  1. "― respondeu ferino encostando o indicador no peito do moreno" achei que ele fosse precisar de um banquinho para fazer isso no Ray kkk
    e "ainda não conhece" apenas acho isso promissor.

    Sabe, não ligo de ver Ray por aqui mais vezes não.

    ResponderExcluir